Boliche profissional no Brasil: é possível?

Nesses quase dez anos, o site Boliche Online (www.boliche.com.br) sempre caracterizou-se como um canal no qual, democraticamente, muitos escreveram, discutiram, polemizaram , bateram-boca, ignoraram, prometeram, enganaram, ridicularizaram … mas … efetivamente nada aconteceu na (des)estrutura organizacional que controla(?) o nosso esporte!
É normal, quando estamos treinando ou participando de campeonatos, alguém do “público” se aproximar e perguntar: você é profissional? A primeira reação que temos é dizer que sim, para evitar complicações, mas geralmente pensamos um pouco e respondemos: Não, somos “federados”. O que é isso?, perguntam em seguida. Somos inscritos num clube que, por sua vez, está ligado à Federação Estadual. Aparentemente isso satisfaz o interessado nesse esporte, e ele segue “brincando”, após satisfazer a curiosidade.
Porém, bem sabemos, a realidade do boliche é cruel, incompetente, conchavadora, falsa, pretensiosa, irregular …
No sistema atual imposto pela CBBOL, são os presidentes das federações estaduais que votam nos presidentes da Confederação, não os atletas. São os presidentes dos clubes que votam nos presidentes das federações, não os atletas.
Porém, são os atletas os únicos que PAGAM para jogar e financiam as viagens e despesas pessoais (e de familiares) desses “presidentes”.
Isso precisa mudar. Ontem.

26 Respostas para “Boliche profissional no Brasil: é possível?

  1. Caro Bira,
    Depois de 15 anos sem jogar voltei e achei que algo poderia ter mudado, mas o que vi foi a mesmice de sempre.
    As Federações continuam com suas políticas de “farta distribuição de medalhinhas” em vez de organizar o esporte como uma coisa realmente séria.
    No Rio, as Ligas se formam de forma totalmente independente da Federação e acham que com isso vão resolver alguma coisa e nada acontece, ficam procurando fórmulas mágicas que não existem.
    Acho que está na hora de mudar. Para isso deve-se trabalhar muito.
    As Federações precisam “abraçar” as ligas como um grande fornecedor de jogadores e transformá-las na base de uma grande pirâmide.
    Federação com handicap? Isso é fazer o atleta acreditar em Papai Noel.
    Para se federar o jogador deveria ter uma média mínima estabelecida, como um índice, depois divida em divisões e os prêmios deveriam ser em dinheiro (com dinheiro arrecadado nas próprias ligas dá pra fazer), afinal quanto melhor você joga, mais você paga (quem vai a final gasta mais que é eliminado antes).
    Por sua vez, os jogadores deveriam colaborar um pouco mais com o esporte.
    A grande maioria vai jogar boliche como se estivesse indo para um pique-nique. Shorts coloridos, bermudas e etc…
    Gostaria de perguntar a um por um se fossem diretores de empresas e fossem investir num esporte, investiriam num com tamanha desordem visual ou num esporte com roupas adequadas e bem padronizadas? As Federações deveriam exigir isso.
    E isso é o mínimo!!!
    Se cada um fizer a sua parte, tenho certeza, que o boliche dará saltos de dez anos em cada um.
    Que as vaidades pessoais fiquem fora das pistas e das mesas de decisões.
    Esse é meu sincero desejo.
    Um grande abraço

    Fraga

  2. Fraga
    Concordo com todas as suas observações. E acrescento: os “atletas” deveriam parar e pensar sobre o doentio hábito de fumar durante as competições. O ambiente fica insuportável. Não sei como ignoram as crianças (às vezes, os próprios filhos) que respiram tanta impureza. Pensem! E parem de fumar (ao menos no local dos jogos, e “local” serve pra tudo, fora das pistas, banheiros, cantinhos, etc.).

  3. Concordo plenamente em tudo que o Fraga falou.
    Acrescento ainda idéias que o Bira tem também sobre atletas entrarem no Ranking.
    E quanto a fumar e a beber ficaria a critério dos pais, como o Bira exemplificou. Mas que as Federações e pricipalmente a Confederação???
    deveriam punir os atletas, isso sim deve ser feito.
    João Walter.

  4. Ailton Cardoso dos Santos

    Os comentários anteriores refletem o meu pensamento sobre esse esporte, dirigentes pensem nisso.
    Eu adoro praticar esportes e na década de 80, conheci um esporte no “cursinho” e depois na faculdade chamado Handebol.
    Bem senhores o que era um esporte desconhecido e praticado por pessoas que não sabiam jogar direito basquete, pelo menos aqueles que eu conhecia na faculdade ( não desmerecendo o esporte por favor), hoje é um esporte organizado, com TV, patrocínio e muitos praticantes.
    Nosso esporte, que agrega muitas idades e familias, não consegue se organizar para divulgação.
    As pessoas não procuram divulga-lo, mesmo via internet, aos amigos.
    Não conseguem se comportar no local, como foi dito acima, sem beber ou fumar no ambiente.
    Amigos, vamos nos unir, sem vaidade, mas com o propósito de crescimento organizado.
    Vamos fazer com que nossos clubes e federações aumentem o número de praticantes e visitantes.
    Vamos contratar profissionais de imprensa para divulgar nosso esporte.
    Vamos deixar de ser “federados” e sim profissionais, como disseram neste Blog.
    Adoro este esporte e procuro divulga-lo a minha maneira, mas gostaria que cada dirigente fizesse sua parte nisso.
    Vamos ditar as regras, planejamento, calendário e cumpri-los.
    Punir se preciso for, mas que todos tenham condições de praticar um esporte de alto nível.
    Que tenhamos clínicas para os atletas, iniciantes e experientes.
    Vamos lá gente, o esporte precisa de todos.
    Criticar é mais fácil, unir forças é dificil.
    Com boa vontade vamos conseguir, material humano nós temos em todos os locais do país.
    Sou novo ainda no esporte, por isso peço aos mais experientes que esqueçam o passado de intrigas e se unam, todos no final prosperam.
    Abraços

  5. Eu concordo basicamente com tudo que foi dito por vcs, e eu sou fumante, apenas devem ser claras as regras adotadas.
    Quanto aos dirigentes, o mesmo recado, transparencia. Eu posso compreender que o nosso esporte eh amador e que os atletas paguem para jogar,e que banquem as despesas dos dirigentes. Por isso mesmo eh que tem que dar satisfacao do que faz com nosso dinheiro.

    Abracos

  6. Bruno Cezimbra

    Acho que tudo que foi dito é verdade. Foi colocado o que seria “perfeito”…Perfeito para quem? Sou baiano, nossa realidade é bem diferente de Rio e São Paulo. Apesar de todo esforço e organização, nossa federação está realmente mais para uma Liga que para uma Federação. Contudo por aqui a grande maioria, inclusive eu, tem o esporte como um lazer e confraternização entre amigos. Sabemos que temos regras que temos que seguir, porem se forem muito rígidas perderíamos muitos filiados, muitos dos quais não chegam a 160 de média, porem têm uma grande paixão pelo esporte.
    Da forma colocada a Bahia teria entre 05 e 10 atletas de boliche. Isso seria interessante para quem? Para a Federação Baiana? Para os empresários proprietários dos Centros de Boliche?
    Quando analisamos o profissionalismo do esporte temos que ter em mente onde queremos chegar. Se a CBBOL quer profissionalizar o esporte para termos uma equipe forte para disputar títulos internacionais temos que agir de uma forma. Se quer disseminar o esporte nos principais centros e por todo o Brasil tem que agir de outra.
    Portanto é um assunto muito polêmico. Parece simples mas não é.
    Sugiro que ao se comentar o assunto não pensem como Cariocas ou Paulistas e sim como Brasileiros.

    Sds,

    Bruno Cezimbra

  7. Bruno

    A situação que você descreveu também acontece com os paulistas (e creio com todos os demais). A maioria gosta dos torneios “festivos”, onde cigarro e bebida correm soltos, com regras mais frouxas. Não se pode ignorar isso, é claro, porém tem que haver PLANEJAMENTO, INFRA-ESTRUTURA, EXECUÇÃO e SERIEDADE nos atos dos dirigentes do nosso Boliche, sem excluir os “festeiros”. Os campeonatos nacionais têm que ter mais rigor e, talvez, as taças regionais, ao menos no início da IMPLANTAÇÃO das mudanças.

    Bira

  8. Fabrício Cardoso

    Prezados senhores, concordo em grande parte com que foi dito aqui neste site.
    Aponto que a saída é pensarmos que temso que ter duas mentaliades de boliche dentro de uma só, pois temos que pensar realmente nos que priorizam lazer, os que priorizam o alto rendimento, e os que se beneficiam de Boliche, agora isso não é feito de uma hora para outra.
    trabalhamos com boliche, onde ja realizamos mais de 100 palestras em escolas, temos artigos publiucados em território nacional e internacional, temos cursos ministrados para confederações internacionais e outros orgãos sobre Boliche, e ja tivemos duas monografias de trabalho de cusro de graduação, duas de pós-graduação e agora recentemente uma tese de mestrado sobre Boliche.
    Agora isso tuso sem poio quase nenhum da CBBOL, digo quase nenhum pois num periodo curto, infelizmente, chegamos a fazer trabalhos com a CBBOL.
    Em quase cinco anos somente pesuqisando e estudando sobre todos os aspectos do Boliche, acreditamos que ja tivemos melhoras, pois nossa sorte é que temos pessoas comprometidas com o esporte em algumas funções na CBBOL, que é o caso do marcio martins.
    Podemos dizer que o Boliche precisa sim de projetos, de trabalhos, que devem sempre ser apiioados inconcionalmente pela CBBOL, pq em nosos trabalhos sempre tentamos apoio da CBBOl e nunca tivemos, isto com o atual presidente em sua atual gestão e no ano de 2003.
    E somente continuamos realizando nossos trabalhos por motivações proprias.

  9. Fabrício Cardoso

    Aproveito para pedir desculpas pelos erros d eportugues, mais depois que tive 3 AVCS, embora eu ja esteja quase 100%. ainda tenho muitas dificuldades com o português. E também para agrdecer o total apoio que o sr. Bira sempre nos deu e ainda nos da…..abraços!!!

  10. Renato Adriani

    EU TAMBEM CONCORDO COM TUDO QUE FOI DITO…..
    A UNICA COISA QUE SINTO É QUE QUANDO TUDO ISSO ACONTECER , PASSO FAZER UMA VISITINHA PARA REVER OS AMIGOS……
    FALA SÉRIO , SEM FESTA NÃO DÁ…….FICAR ATURANDO NEGUINHO GASTANDO NOSSO DINHEIRO SEM DAR SATISFAÇÃO E SE ACHANDO O MELHOR DO MUNDO , DEPOIS QUERER COBRAR SERIEDADE É SACANAGEM.
    ENQUANTO OS ATLETAS PAGAREM PARA JOGAR , ACHO QUE TEM MAIS QUE SE DIVERTIR MESMO , PQ OS TORNEIOS , COMO TODOS SABEM , SÃO FEITOS PARA MEIA DUZIA JOGAR E O RESTANTE , OS OUTROS 150, PAGAREM A CONTA…..
    ABRAÇO A TODOS

  11. Renato
    Acredito que é possível fazer as duas coisas ao mesmo tempo. É claro que é preciso PLANEJAMENTO. Você mesmo diz que o que o incomoda mesmo é “neguinho gastando sem dar satisfação e se achando o melhor do mundo”. Então … se a administração for transparente e séria, sem capachismo ou nepotismo, garanto que você irá se divertir muito participando de torneios melhor estruturados tecnica e administrativamente.
    Até porque, o melhor das baladas e das farras é fora do boliche, né?
    Abração, parceiro!

  12. Bira e pessoal,
    vai ser difícil.
    Sou a favor de uma revolução no boliche, não se fuma, não se bebe(alcoólicos). Não temos mais tempo para ficar pensando.
    Se tiver que começar com 10 pessoas federadas, que comecemos com estas 10 pessoas, com certeza outras virão, porque terão a certeza de que o esporte é agora sério. Adriani, você poderá se divertir, fumando e bebendo sem ter que pagar um campeonato R$220,00 em São Paulo, ou fora =R$200,00 + passagem de avião, ou gasolina se for de carro + 4 diárias em Hotel + taxis,se não for de carro e o boliche não estiver perto do hotel, =R$?.???,??.
    Poderá visitar os amigos sempre, poderá jogar boliche fora dos campeonatos, sem ter todos estes gastos, tomando o que quiser e fumando qualquer a hora e não ficará vendo como estão gastando o dinheiro, dos campeonatos e dos federados, porque daí por diante, haverá transparência.
    Muitas pessoas acham que sou chato, ou estou ficando chato, mas é porque agora eu discuto o assunto e antes eu fugia destes problemas, mas agora não, estou aqui para dizer o que acho que está certo ou errado(mais esta opção).

    Estou querendo um boliche mais profissional e para que isso aconteça temos que banir o fuma e a bebida alcoólica nos campeonatos.
    João Walter

  13. Ailton Cardoso dos Santos

    Vamos usar o nosso regulamento.
    Temos até comissão disciplinar, acredito que alguns estados também.
    Caso não saibam, devido a minha divulgação solitária, recebi um contato de um amigo informando que foi feita matéria sobre boliche na TV Bandeirantes ontem dia 19/06.
    No jornal Bandeirantes
    Abraços

  14. Renato Adriani

    Caro amigo João Walter , eu nao abandono o boliche nunca , mesmo porque , quando o Bene era diretor da CBBOL e tentou banir o fumo nos jogos , tanto no planet quanto em BH lá no cosmic , eu estava jogando e respeitei o regulamento…..tanto é que quando eu e mais alguns fumantes queriamos fumar , iamos lá na rua , bem fora do boliche , e em nenhum momento desrespeitamos as regras……quando eu disse que passaria a visitar o pessoal , foi no intuito de fazer entender que só vou conseguir respeitar se eu for respeitado…..volto a dizer , quando a nossa querida entidade “maxima” respeitar os seus atletas como um todo ( e não somente meia duzia) aposto e ganho que será muito respeitada tambem…..
    Acho tambem que o fumo atrapalha quem nao gosta , é claro , como tudo que eu nao gosto vai me incomodar se algum fizer , mas acho que o dito acima , o PLANEJAMENTO , sendo bem feito e bem explicado , quem estiver lá dentro terá que respeitar…..mas como disse , sendo respeitado tambem….Varias vezes tentei obter uma explicaçao da CBBOL , com relaçao a um acontecimento no ano passado , e o maximo que eu tive de resposta foi que eu estava louco , que eles nunca disseram tal coisa e que se eu tivesse alguma reclamaçao ou critica , que procurasse a minha federaçao , e que “eles” nao tratariam direto com o atleta…..só que na hora de pegar meu dinheiro , ou melhor , o nosso , e gastar como bem entendem , nao podemos fazer nada??????
    já que é assim , vou continuar me divertindo dentro do torneio “deles” e fazendo oque bem entender , já que sou eu mesmo que pago a conta…..
    PORQUE VOLTO A DIZER , ELES NAO SE PREOCUPAM COM O ESPORTE E SIM COM O PROPRIO RABO E SUAS VAIDADES , E O MAXIMO QUE CONSEGUEM SER , ALEM DE SIMPLES POLITICOS , É SEREM PUXA SACOS DE MEIA DUZIA…..

    nao me leve a mal João , sabe como sou….
    abraços do amigo
    Renato Adriani

  15. Amigo Adriani.
    É muito bom saber que se as regras que já existem(fumo e bebida alcoólica), forem aplicadas pela CBBOL e FPBOL e pelas outras federaçãoes, elas serão respeitadas por seus atletas. É muito bom também saber que elas serão respeitadas por pessoas como você que, existindo regras você as cumprirá, deste que outros a cumpram. Não pedi e não quero que abandone o boliche, você ou qualquer outro jogador que aprendeu a gostar de disputar campeonatos, taças, relâmpagos, ou simples torneios, como eu e a fazer novas amizades, conhecendo pessoas de outros estados e tornando-se amigos.
    Quanto a CBBOL, isso já é um fato mais difícil de resolvermos, mas nunca será impossível. O que temos que fazer é eliminar a famigerada “PANELA”, temos que ter consciência que o mal se corta pela raiz, não adianta podarmos apenas, a arvore da panela é grande, como se fosse uma Sequóia, ela tem muitos cupins e muitos outros fungos destruidores.
    Então vamos DERRUBA-LÁ, uma serra elétrica seria mais rápido.
    Abraços.
    De seu amigo.
    João Walter.

  16. Ailton Cardoso dos Santos

    Bem amigos
    Concordo com algumas posições e sou contra em outras.
    Neste nosso Brasil, e os meus amigos vão entender, temos a péssima mania de não fazer a nossa parte. Como disse antes criticar é bem mais fácil, às vezes faço isso também, ficando mal comigo mesmo depois.
    Vamos levar essa idéia de respeito a cada pessoa conhecida, vamos tentar não fumar e beber em qualquer torneio oficial, assim as pessoas que estão jogando e prinicipalmente as em volta, poderão começar a sentir a mudança.
    Não basta apenas pedir que as entidades máximas cumpram sua parte, se nós mesmos não estamos cumprindo a nossa, em certas ocasiões.
    Passemos a boa mensagem em nosso círculo de amigos, em nossos clubes e nos campeonatos.
    Sei que muita gente está cansado de solicitar, mas temos que ser fiéis a nós mesmos.
    Como poderemos ser contra em eleições, se aderimos ao contrário durante o dia a dia dos torneios.
    Como poderemos ter discursos de mudança, se montarmos chapas para concorrer, se sendo oposição não cumprimos o que está escrito.
    Mas volto a afirmar, as posições colocadas aqui são boas.
    Vocês já pensaram em quem o seu clube pode apoiar na eleição para presidente da federação?
    Se começar agora, até os atuais podem mudar, vendo que a maioria tem esta intenção.
    Como digo sempre, vamos lá;…..
    Abraços

  17. BIRA,
    na quarta rodada do Paulista de Tercetos, entre a primeira e segunda partidas, eu estava sentado em uma mesa perto da cozinha do Planet pois estava insuportável o cheiro de cigarro e lá era o local menos insuportável. Quando o Valbom me viu, me perguntou por que eu estava ali.
    Respondi que estava passando mal com a fumaça e o cheiro de cigarro, pois na minha pista tinham 3 atletas e 4 pessoas que assistiam, fumando durante as partidas, inclusive o próprio Valbom.
    E a resposta veio : MANDE UMA CARTA PARA O CONSELHO DISCIPLINAR DA FPBOL, que esta vai se reunir para tomar providências.
    Se a própria FPBOL é a organizadora do torneio e fez o regulamento e proibiu o cigarro, por que ela tem medo de punir quem não cumpri e joga para o Cons. disciplinar ???
    sendo que já estamos no meio do ano e este só se reuniu uma vez até agora.
    Para que serve este conselho ?
    Sinceramente, não acredito que isso vai mudar.
    Infelizmente isso só me afasta das competições.
    Precisamos de pessoas mais sérias comandando o boliche, ou ficaremos nesta ETERNA INSIGNIFICÂNCIA.
    Um abraço.

  18. É Eduardo, o problema se complica quando o “exemplo de cima” contraria o próprio estatuto do nosso esporte. É não é só o Valbom não, temos vários outros dirigentes submissos à esse vício nada saudável.

    Pra você ter uma idéia da gravidade dessa situação, basta imaginar um patrocinador visitando nosso evento exatamente naquele momento que você procurou um pouquinho de ar menos poluído.

    Também sofri muito nesse final de semana, pois polui meus pulmões no sábado e domingo nas finais do Paulista de Tercetos e na terça-feira nas finais do Duplas do Interlagos. Resultado: estou mal, resfriado e com uma irritante tosse seca. Um saco!

  19. (e nesse exato momento que lhe escrevo, tem uma fdp que sentou na mesa ao lado, fumando desesperadamente, bem durante um lanchinho … q m*)

  20. Ailton Cardoso dos Santos

    Bem…Caros amigos Eduardo e Issa
    Este mal , precisa ser eliminado, já tive um especialista em treinos de alto rendimento, que convidei a assisitir um torneio no Center Norte, do qual estava participando.
    Ele viu pessoas naquele dia, bebendo e fumando. E perguntou, “essa é uma pratica normal no boliche?”
    Disse que em campeonatos (2006) era proibido, eu estava começando no boliche.
    Ele perguntou, se nossa federação permitia? disse novamente que não, porém , durante intervalos era permitido, em local designado.
    Pena que ele, se desmotivou, porque naquele dia ele havia levado os filhos ainda pequenos, para assistir.
    Passados alguns meses, voltei a conversar com ele, este disse-me que não poderia trabalhar com jogadore, cujo ambiente não era favoravel e muito menos era proibido o uso de alcool e fumo.
    E digo mais, esta pessoa mesmo assim, entrou em contato com uma multinacional do ramo esportivo, que se mostrou interessada em patrocinar treinos para os melhores jogadores, pagando o salario desse profissional, mas ele não aceitou devido a federação não ser firme contra esse mal.
    Mas quem sabe, se conseguirmos mudar alguma coisa, poderemos resgatar esses potenciais parceiros.
    Abraços

  21. Bruno Cezimbra

    Bira,

    Vai aqui uma sugestão.
    Acho que grande parte dos federados ( quase profissionais rsrs) não fumam. Os que fumam dizem que respeitam as regras. Contudo quase sempre em todos os campeonatos é proibido fumar e beber durante os campeonatos. O que vemos é que os fumantes não seguram o vício e prejudicam quem não quer fumar indiretamente.
    Vamos iniciar uma campanha contra o fumo e a bebida alcoólica durante os eventos. Eu posso fazer aqui na Bahia, outros fariam no Rio, outros em SP, BH….
    Seu site como nosso maior meio de divulgação e comunicação seria uma ferramenta importantíssima para isso.
    Não resolveremos todos nossos problemas, que são muitos, mas podemos tentar ajudar um pouco com essa colaboração ao nosso esporte.

    Sds,

    Bruno

  22. Eu acho o seguinte, se o sistema tá assim vcs tem q mudar, é só não participar dos campeonatos. Faz uma greve geral. Pronto …
    Quem fica com a grana não são os Presidentes??? Pra sustentar a vida deles?
    Aí e só não ir …

    Eu não virei federado por causa disso … não vou pagar milhares de reais, fazer um mega investimento pra não ganhar nada!

    Vamos deixar a fomiagem de lado e vamo boicotar né!!!

  23. BOLICHE É ESPORTE???
    Ficamos respondendo isso o tempo todo pra todo mundo…mas para ser ESPORTE tem que seguir as regras de qualquer esporte.
    No futebol de várzea se fuma e se bebe nos intervalos, mas nos campeonatos estaduais , nacionais e internacionais não…simples assim.
    No volei na praia da barraca do Seu Zé também, mas no Circuito Nacional não! Simples assim.
    Na hora de divertir de brincar de competir brincando, fuma-se e bebe-se, (se o local permitir) mas nos campeonatos nacionais e internacionais não! ESPORTE levado a sério.

  24. Só uma observação:
    O sistema de votação, em que quem vota são os presidentes das federações,
    não é imposto pela CBBOL, e sim pelas leis esportivas do nosso país. Funciona assim em todos os esportes.
    Caso a CBBOL desse a prerrogativa aos atletas votarem, qualquer um que se sentisse prejudicado entraria na justiça e ganharia. Por exemplo, a chapa derrotada, algum atleta que se sentisse prejudicado em uma convocação poderia alegar falta de legitimidade, etc. É só estudar a lei.
    Portanto é fácil criticar, mas é difícil executar.

    Abraços
    Dannyel Coelho

  25. Olá Dannyel, seja bem-vindo ao debate.
    Se a lei assim exige … então temos que buscar alternativas, que tal as Ligas que bem melhor representariam a vontade dos filiados?
    aBIRAços

  26. Ailton Cardoso dos Santos

    Bem, se o sistema depende de presidentes, então devemos pressionar nossos presidentes de clubes e estes a suas federações.
    Seguir regras é o essencial.
    Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s