XXX TAÇA SÃO PAULO: RECLAMAÇÃO!

Senhores.
Eu não entendo como uma Taça São Paulo, com o que representa junto com algumas outras, possa ser decidida em 20 partidas e 3 dias. E por um custo para atletas maior a cada ano, fora as inscrições estaduais e nacional.

Em outros lugares onde o boliche progride, não regride, são 30 linhas, COM FINAIS que se o 5º. Colocado chegar bem, jogará 34 partidas. Nos EUA começa entre 10 e 11 horas da manhã e cada 6 linhas são jogadas em 2 horas e meia, não 6 ou 7 horas como acontece aqui.

Eu moro há 160 km de São Paulo. Não tem dono de boliche que me faça acordar 6 da manhã para ir jogar. E os atletas de fora, que viajam, tem hotel, táxi, para isso?

Cobrar esse preço por um horário sem presença de público? Como é possível voltar a jogar boliche com essa somatória de assuntos interessantes a negociar, ou ao menos pensar?

Desculpem-me pela franqueza: não é à toa que o boliche paulista e brasileiro (com 800 federados em 2000) está desaparecendo.

Lamento, mais que os senhores que estão lendo, escrever sobre esse assunto. Não sou político, não tenho como colaborar. Mas os senhores dirigentes podem, sim, fazer algo mais alinhado com um futuro desse esporte.

Boa Taça São Paulo a todos.

Francisco Eberl”

De: eberl_f@yahoo.com.br
Em: 22 Jan 2010 sexta 12:46:22

Anúncios

4 Respostas para “XXX TAÇA SÃO PAULO: RECLAMAÇÃO!

  1. Prezado Sr. Francisco Eberl

    Infelizmente o sr. tem razão sobre isso, por isso deve-se o mais rápido possivel uma proposta melhor de profissionalização do Boliche no Brasil.
    Abraços

  2. Wagner Cerchiai

    Já respondi diretamente ao Francisco.
    Os custos para 20 linhas na locação de pistas não foram tão grandes.
    Não podemos comparar Estados Unidos com Brasil, lá a linha custa menos de dois dólares.
    Explicamos também que houve outros custos, contratamos o Marcos Moreno para acertar o condicionamento do Tiger e Center Norte, pois não estavam nas condições ideias.
    Também citamos o critério de não fazer dois turnos, pois seria muito ruim para todos, em especial para os atletas de fora.
    Nossa visão é simples, precisamos aumentar a quantidade de federados, isso mais as ligas, foi o que impulsionou o crescimento do esporte nos Estados Unidos.
    O No Tap, realizado pelo Pro Shop Bowshop 300, com a ajuda do Celso Palma, nos mostra que são iniciativas como essas que ajudam a melhorar o nosso boliche, temos que aumentar a quantidade de torneios, ligas e federados, somente assim poderemos melhorar o boliche no Brasil.
    A palavra de ordem é: mãos à obra.
    abraço,
    Wagner

  3. Mandou bem “vovô”. Não é por falta de grana. Muito mal organizado. Como ex. = marca-se determinado horario. Que acontece? Somente duas horas depois se inicia os outros Turnos…

  4. Paulo Oliveira

    Sr. Wagner
    Acredito que possa realmente fazer um bom trabalho junto FPBOL, mas o crescimento do boliche me parece ser objetivo possível somente para SP/BH e RIO, pois gostaria de lhe perguntar se sabes quanto custa para um atleta do Mato Grosso, Pará e demais estados participar de um evento desses? Caso saiba, por favor pense em pelo menos minimizar os custos da taxa de inscrição e tarifas de Hotéis.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s