BOLICHE: UM ESPORTE QUE TAMBÉM FAZ CAMPEÕES

A revista ZN fundada em 1998 na Zona Norte da capital paulista é uma publicação da SP1 Editora, e dedicou uma matéria especial ao esporte Boliche, produzida por Marisa de Lucia.

“Embora em nosso país seja visto pela maioria das pessoas como um esporte para simples diversão, o Boliche tem feito muitos campeões nas inúmeras competições realizadas em todo o mundo.

Afinal, para participar de uma disputa de Boliche é preciso muito treino, pois existem muitas técnicas para jogar de maneira correta, além de planejamento, muita concentração e autocontrole.

“Não é à toa que os atletas de Boliche treinam com bastante frequência”, explica Celso Ricardo Cordeiro de Azevedo, 45, que ocupa hoje a 3ª colocação no Ranking Paulista e conquistou o título de Campeão Paulista Individual em 2010 e pela sétima vez consecutiva foi campeão do XXX Campeonato Brasileiro de Seleções de Boliche, realizado no mês de novembro.

O mais interessante deste esporte, segundo Celso, é que o Boliche, hoje um dos esportes mais populares do mundo, pode ser praticado por pessoas de todas as idades, não importando o peso e a altura, e não requer força ou velocidade, mas sim técnica.

Mas será que é difícil praticar este esporte tão divertido e procurado, apesar de não muito divulgado? Que nada! É simples: o Boliche tem por finalidade arremessar uma bola sobre uma pista para atingir 10 pinos dispostos numa formação triangular. Uma partida ou uma “linha” consiste de dez jogadas (frames), sendo que em cada uma delas o jogador tem direito a dois arremessos, no máximo, para derrubar todos os pinos. No caso de derrubar todos os dez pinos na primeira jogada (strike) não se deve jogar a segunda bola. O máximo de pontos possíveis em uma partida é 300, e para isso são necessários 12 strikes consecutivos.

A pista de madeira ou sintética possui 18,20m de comprimento por 1,07m de largura. Nos eventos oficiais, as pistas são condicionadas com óleo, a fim de se obter um jogo consistente e preciso.

O Boliche tem uma rica e longa história. Conta-se que o antropólogo britânico, Sir Flinders Petrie, descobriu, em 1930, uma coleção de objetos no túmulo de uma criança no Egito que aparentava ter sido usada para uma forma arcaica de Boliche. Se ele estiver certo, o esporte começou em 3200 a.C.

Outra versão aponta que por volta do Século III ou IV, na Alemanha, o Boliche tinha conotação religiosa e era jogado com 9 pinos colocados em forma de losango. Os fiéis jogavam pedras em direção a um bastão que carregavam para se protegerem, denominado “Kegel” e que representava o Céu. Quem conseguisse derrubá-lo estaria livre dos pecados. Conta-se que Martinho Lutero, fundador do protestantismo, gostava tanto desse jogo que mandou construir uma pista de Boliche em sua casa.

A descoberta mais recente foi divulgada em maio de 2007, pela Mena, agência egípcia de notícias. Em Kom Madim, província de Al Faiyum, a 100 km da capital do Egito, uma equipe de arqueólogos descobriu uma espécie de sala de um jogo bastante similar ao Boliche, sem teto e com o chão coberto por blocos de granito. Neste local, cientistas italianos encontraram duas bolas de granito, utilizadas no jogo. Os arqueólogos afirmam que a descoberta data da dinastia grega dos Ptolomeus (332 a.C. – 30 d.C.) e que é a primeira vez que se descobre uma construção com essas características no Egito.

Em São Paulo, os eventos de Boliche são geralmente realizados nos seguintes clubes: Planet Bowling, Dragon Bowling Center Norte e Tiger Bowling. No Dragon Bowling Center Norte, segundo o encarregado Michael Hebert Bartu, o ambiente é bastante familiar e até crianças de 5, 6 anos de idade costumam passar horas jogando. “Para elas três horas é pouco”, comenta. O espaço possui 24 pistas que podem ser ocupadas por seis pessoas cada, lanchonete e espaço para festas, para as quais são fechados alguns pacotes de jogos. Segundo Michael, aos finais de semana, quando só fecham as portas após as 2h ou 3h da manhã, passam por lá cerca de cinco mil pessoas.

Em relação à participação de nosso país nos campeonatos de Boliche, em 2007, nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, o Brasil ganhou a medalha de prata no masculino.”

(original publicado na Revista Zona Norte)

Anúncios

3 Respostas para “BOLICHE: UM ESPORTE QUE TAMBÉM FAZ CAMPEÕES

  1. Celso,
    Muito legal!
    Parabéns!
    Abraço!

  2. Soh para vc saber q vc tava falando q eu era estressado
    eh pq eu tava falando zuando das partes ruins do boliche
    para fikar engraçado e no meu orkut todo mundo disse q se matou de rir.
    Entaum antes de falar pergunte blz?

    • Thomaz
      Na boa, continuo achando sua relação com boliche ainda um tanto estressada… rsrsrs
      E olha que conheço vários federados que são assim também.
      Relaxa, garoto, porque o Boliche também serve prá isso.
      aBIRAços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s