Arquivo do mês: janeiro 2007

FEDERAÇÕES

Os estatutos das Federações Estaduais de Boliche geralmente repetem a mesma coisa:
> Dirigir, difundir, administrar, assessorar, orientar, supervisionar, regulamentar, coordenar e incentivar a prática e o ensino do Boliche;
*** e o que a gente vê? Improviso, falta de planejamento, eventos sem divulgação (até mesmo nos locais de realização) … quanto a prática e o ensino de boliche … seria cômico se não fosse trágico.
> regulamentar, organizar, orientar, fiscalizar, promover, dirigir ou controlar os festivais, torneios, campeonatos, demonstrações, simpósios, cursos, estágios e demais atividades de âmbito estadual;
*** o que mais se vê é o interesse na verba arrecadada … fiscalização? Não existe!
> cumprir e fazer cumprir as leis, estatutos, regulamentos, resoluções, deliberações e demais atos de poderes ou órgãos de hierarquia superior, aplicáveis ao desporto;
*** hummmm …
> expedir avisos, portarias, resoluções, deliberação e instruções de natureza administrativa ou técnica as suas filiadas;
*** os clubes são como maridos traídos … os últimos a saber … e estes, por sua vez, falham na comunicação com os atletas filiados …
> manter e incrementar as relações amistosas e desportivas entre suas filiadas, incentivando o intercâmbio;
*** “amistosas”? E a fogueira das vaidades?
A CBBOL parece não depender (como deveria) das Federações, que parecem não depender (como deveriam) dos Clubes, que parecem não depender (como deveriam) dos atletas, que dependem deles mesmos para “sobreviverem” no esporte.

Anúncios

CBBOL

A CBBOL foi parida à forceps … nasceu mirradinha … tadinha … até com problemas de paternidade. Imaginou-se que um “aparelho nos dentes” deixaria ela mais bonitinha … uma plástica nas “orelhas” aqui … uma lipoaspiração ali … e ficaria “aceitável” … já se passaram mais de dez anos … e ela ainda não sabe andar sozinha … nem falar de forma inteligível consegue … nunca chora mas vive a provocar choro em quem se aproxima dela … tem doenças crônicas e congênitas … vive numa casa em constante conflito … às voltas com brigas o tempo todo … até quando?

PAN RIO 2007

Parece que, novamente, a velha história com final conhecido por todos vai se repetir: convocação.
Por que num esporte tão objetivo como o boliche (a contagem é matemática, sem margens para interpretações) os critérios de convocação são tão obscuros e inexplicáveis? Qual o estímulo que têm um atleta para participar de todos os eventos homologados se, na hora H, a convocação é feita sem maiores explicações? Por que o Ranking foi seguido à risca na Divisão Masculina e não na Feminina?

Olá

Seja bem-vindo ao Blog do site http://www.boliche.com.br.
Obrigado pela visita. Participe e volte sempre!